sexta-feira, 29 de abril de 2016

Instalando o Kubuntu 16.04 em 34 minutos

Instalação do Kubuntu 16.04 LTS a partir do Live USB: concluída às 14:51

A instalação do Kubuntu 16.04 LTS levou exatos 34 minutos, — com direito a pausas para consultar anotações e fazer capturas de tela, — e não apresentou qualquer novidade em relação à instalação do Kubuntu 14.04, ou do Kubuntu 12.04.

O tempo total da instalação foi muito diferente, — agora usando Live USB (Pendrive) e conexão de “10 megas” (1,3 MiB/s), — embora boa parte da atividade total seja de processamento pela CPU, e de formatação e gravação no HD, cujas taxas não mudaram.

O processo de instalação do Kubuntu abrange 7 etapas, — com durações bem diferenciadas:

  1. Idioma → Selecionar “Português do Brasil” não toma tempo algum. Foi ultrapassada em 1 minuto.
  2. Preparar → Optar por “baixar atualizações durante a instalação”, e/ou por “instalar softwares de terceiros”. Tempo de ultrapassagem: 3 minutos, após intensa atividade de CPU e leitura de discos em segundo plano.
  3. Configuração de disco → Essa etapa exige bastante atenção, — por envolver opções de certa gravidade, — e as escolhas mais simples podem implicar em maior tempo de implementação (p.ex., longas formatações envolvendo o HD inteiro, inclusive mudanças no “sistema de arquivos”). — Ao enveredar por opções aparentemente mais espinhosas, consulta de velhas anotações, e formatação de 2 partições pequenas (20 GB e 8 GB), o tempo total foi de 13 minutos.
  4. Fuso horário → A escolha é bastante simples. No entanto, prossegue intensa atividade de CPU em segundo plano. Foi ultrapassada em 1 minuto.
  5. Teclado → A opção também não exige esforço. Segue a intensa atividade de CPU em segundo plano. Foi ultrapassada em 1 minuto.
  6. Informação de usuário → Com toda demora possível, o preenchimento de 4 campos e 2 opções, não há como demorar. Ao final de 3 minutos, amainou a atividade de CPU em segundo plano, e o processo avançou para a última etapa.
  7. Instalação → Nesta etapa, são “aplicadas” as decisões anteriores, envolvendo download, processamento (CPU), leitura e gravação (Pendrive, HD). Não há nada a fazer, exceto assistir a apresentação (slide-show), ou tomar um café. Tempo: 10 minutos.

Há momentos em que você faz as opções e clica para seguir adiante, — mas o Instalador do Kubuntu ainda não terminou o que estava fazendo, em segundo plano, — daí algumas demoras que não decorrem (só) de pausa humana para pensar.

1) Idioma


Abertura do instalador do Kubuntu 16.04: escolha do Idioma (“Português do Brasil”)

14:17 - Logo ao clicar em “Install Kubuntu 16+04” e abrir o instalador, é oferecida a escolha do Idioma.

Ao escolher “Português do Brasil", a interface muda para a nossa língua, — “Language” vira “Idioma”, por exemplo, — e você pode dedicar algum tempo a ler as “Notas da versão”.

2) Preparação


“Preparar” a instalação do Kubuntu 16.04 começa por 2 escolhas quanto ao software

14:18 - Opções da 2ª etapa da instalação do Kubuntu 16.04:

Baixar atualizações enquanto instala Kubuntu” é uma opção que poupará tempo, — quando houver atualizações, — evitando ter de fazer isso depois da instalação.

Instalar softwares de terceiros” também evita procurar miudezas após a instalação, além de já deixar habilitados os repositórios adicionais.

Segue-se intensa atividade de CPU, leitura de discos etc.

Desmontar as partições dos HDs, caso pretenda criar, apagar ou redimensionar partições nesses discos

14:19 - O instalador detectou que há partições montadas de 2 HDs (sda, sdb). Pergunta se deseja desmontá-las, — senão, não será possível criar, apagar ou redimensionar partições nestes discos, — mas você poderá instalar utilizando as partições já existentes.

No caso, a resposta foi “não”, — pois seriam utilizadas apenas partições já existentes.

14:22 - Segue a etapa de “preparação”, com intensa atividade da CPU.

3) Configuração de disco


Opções de discos e partições para instalação do Kubuntu 16.04

14:23 - Onde você gostaria de instalar o Kubuntu? Opções sugeridas:

  1. Guiado → Redimensionar uma das partições existentes, e utilizar o espaço liberado.
  2. Assistido → 3 opções: Usar o disco inteiro, LVM, criptografar
  3. Manual → Escolher 1 ou várias partições, a seu gosto. — E se houvesse desmontado, poderia inclusive apagar e criar novas partições, redimensioná-las etc.

14:24 - Opção escolhida: Manual. — Examina mais os discos (intensa atividade de CPU).

14:25 - Exibe um quadro das partições existentes nos 2 HDs e no Pendrive, para escolha manual do que fazer.

14:26 - Consulta às anotações no Byteria sobre a instalação do Kubuntu 14.04 (2014) e sobre o uso destinado a cada partição do computador atual (2012).

Opção “Manual”


A opção Manual para a escolha de “Onde você gostaria de instalar o Kubuntu” implica, basicamente, em você mesmo selecionar a partição “Raiz” (“/” = “Root”), — onde ficarão o sistema operacional e todos os programas (“aplicativos”), “bibliotecas” etc.

Com isso, você ganha total liberdade para mexer em todo o particionamento do HD, — desde que não esteja montado, — inclusive criar ou redimensionar na hora uma partição, ou alterar o “sistema de arquivos” (Ext4, Ext3, Fat32 etc.) de uma partição.

Se quiser, também poderá selecionar outra partição, — onde ficará a pasta “/home”, — para manter seus documentos (e configurações pessoais) separados do “sistema”.

Pastas dos diferentes usuários dentro da partição “/home” do Kubuntu

Caso venha a criar um segundo usuário, — “Visitante”, p.ex., — ali ficarão os documentos e configurações dele, de modo que ele não acessará o que é seu, nem você será afetado por alguma configuração que ele prefira.

Colocar a “/home” em uma partição separada tem certas vantagens, — não perder seus documentos ao instalar outro Linux, p.ex.

Isto também lhe permitirá escolher um “sistema de arquivos” compatível com o Windows (ex.: Fat32, NTFS etc.), — de modo a poder acessar seus documentos a partir dele.

Se não escolher uma partição separada, a “/home” será criada dentro da própria partição do sistema, automaticamente. — Neste caso, deverá fazer backup de seus documentos e configurações, antes de instalar outra versão do Kubuntu (ou qualquer outro Linux) em substituição ao atual.

Enfim, poderá escolher uma terceira partição para o “arquivo de troca” (Swap), auxiliar da Memória RAM.

O Swap tende a ser pouco utilizado, — desde que haja Memória RAM suficiente, — uma vez que as operações de gravação e leitura em disco tomam tempo e reduzem o desempenho do sistema.

No entanto, este é um parâmetro que pode ser alterado, — para utilizar mais o Swap, por exemplo, — caso haja necessidade.

O tamanho da partição Swap não precisa ser muito grande, — isso vai depender da Memória RAM disponível, e do uso (exigência) que você dará ao sistema.

Escolhi 8 GB, — o dobro dos 4 GB de RAM, — por não ter certeza sobre o assunto, anos atrás, e até hoje acho que nunca foi usada a metade, sequer. Na maior parte do tempo, nem chega a ser usado, ou é usado 1%, no máximo 5%. Porém, há outras possibilidades, que ainda não começaram a ser exploradas.

Enfim, caso já exista uma partição com “sistema de arquivos Swap”, o Kubuntu detectará e passará a usá-la automaticamente, sem que você precise fazer qualquer escolha “manual”.

O que se segue, portanto, é a aplicação “pré-determinada” de uma estrutura de partições, — adotada há vários anos, neste computador específico, com  margem de folga para usos futuros.

Clique numa partição, — não no quadrado!, — e clique em “Alterar” (não em “Adicionar”)

Para iniciar a escolha de uma partição para qualquer uma dessas utilizações, o primeiro passo é clicar no seu “nome”, para selecioná-la (destaque em azul), — e não no pequeno quadrado, a menos que pretenda, conscientemente, formatá-la.

Em seguida, clique no botão “Alterar”, — para “alterar seu uso” — e não em “Adicionar” (criar partição).

Partição sdb1 escolhida — sistema de arquivos — ponto de montagem

14:29 – Usar sdb1 — Sistema de arquivos com journaling ext4 — Montar como raiz (“/”).

Partição sdb5 — sistema de arquivos — não formatar — ponto de montagem

14:32 - Usar sdb5 — Sistema de arquivos com journaling ext4Não formatar — Montar como “/home”.

É importante lembrar que a partição “/home”, — “pasta pessoal”, — não contém apenas “documentos”.

Ela também contém todas as configurações acumuladas ao longo de vários anos, — inclusive, atalhos personalizados do Gimp, LibreOffice etc., — e essa parte fica “oculta” ou “invisível”, com risco de ser esquecida em um backup menos atento.

Contém, ainda, — também na forma de arquivos ocultos, — um “Disco C:\” virtual do Wine (“Wine is not emulator”), com uma cópia do Windows, do MS Word e de mais alguns programas das décadas de 1990 e 2000. Ao instalar o Wine no novo Linux, — coisa de 1 minuto, — tudo isso ressurge, tal como no Linux anterior. [Não chega a fazer tudo que o Windows faz, mas poupa restart para carregar o “verdadeiro” Windows (o Windows “físico”, digamos assim), para uma ou outra tarefa miúda, depois voltar ao Linux etc.].

Daí, o cuidado em não formatar a partição “/home” herdada do Linux anterior, — e de não fazer qualquer alteração no sistema de arquivos (“ext4”), — o que também implicaria em formatação.

A partição escolhida para o sistema (“/”) será apagada, mesmo que não esteja marcada para formatação

14:34 - O Instalador observa que a partição escolhida para raiz do sistema (“/”) não tinha sido marcada para formatação, porém pastas de arquivos de sistema (/etc, /lib, /usr, /var etc.) existentes seriam apagados. Certifique-se de ter feito cópia de alguma coisa que queira guardar etc.

Esta seria a primeira experiência recente de não marcar a partição raiz para formatação.

Afinal, a decisão mudou, e acabou marcada para formatar. — Não era necessário.

Também não era necessário escolher a partição Swap, — ela seria adotada naturalmente, — e isso talvez economizasse o tempo gasto a formatá-la (adiante).

Notar, na parte de baixo (Boot loader), que o Dispositivo de inicialização será sda, — o HD do Windows, que precisa ser o “primeiro”, senão, não brinca. — É lá que deve ser gravado o carregador do grub para que, ao ligar o computador, seja oferecida a escolha de qual sistema operacional você deseja rodar. É o “dual boot”, necessário quando se tem 2 sistemas operacionais (ou mais de 2).

14:35 - Instalar agora.

Avisa quais partições serão formatadas, — última chance para voltar atrás nessa etapa

14:36 - Avisa que, se continuar, as alterações serão escritas nos discos e destruirão dados etc.

As seguintes partições serão formatadas: sdb1 (sistema) e sdb6 (swap).

Este é um ponto sem retorno, portanto, a última chance de conferir as escolhas referentes às partições e, se for o caso, corrigir. — Voltar, ou — Continuar.

4) Fuso horário


Escolha do Fuso horário: — no Centro-Sul, só São Paulo

14:36 - A escolha do Fuso horário não oferece dificuldade, — São Paulo é a única opção no Centro-Sul do Brasil, incluindo DF. — Todas as outras opções no Brasil envolvem alguma diferença em relação à Hora oficial de Brasília, e/ou possíveis diferenças quanto a Horário de verão.

Lembre que esta opção inclui o País (Brasil), implicitamente, — a Moeda (R$), o uso da vírgula para casas decimais, ponto como separador numérico de milhar, o sistema de medidas (Métrico decimal), o modo de exibir as datas etc. — Tudo isso poderá ser alterado depois, item por item, mas é bem mais prático aproveitar a configuração completa e automática.

Portanto, não vale a pena escolher outra cidade na “faixa” vertical, — na Groenlândia, Uruguai, Argentina.

Observe a intensa atividade de CPU, — calculando os arquivos que não serão copiados, — enquanto você escolhe o Fuso horário.

5) Teclado



Escolha do layout de Teclado: Português do Brasil

14:37 - Escolher o layout do Teclado também não oferece dificuldades, — é “Português do Brasil” (PT-BR), tanto na “Disposição” quanto na “Variante”, — porém não inclui a definição da tecla de acesso ao 3º nível, que terá de ser feita manualmente, depois da instalação:

Menu → Configurações do sistema → Dispositivos de entrada → Teclado.

Mais uma vez, observe a intensa atividade de CPU, — já foram copiados 42% dos arquivos, no momento em que você escolhe o layout de Teclado.

6) Informação de usuário


Nome, Usuário, Senha, Nome do computador, opões de entrada, e de criptografia da pasta pessoal

14:38 – Informações de usuário. Seu nome, nome de usuário, senha, nome do computador.

Escolhas adicionais:

  • Solicitar senha para entrar ou iniciar sessão automaticamente.

  • Criptografar ou não a pasta pessoal.

A atividade de CPU finalmente se reduz, e cessa por um instante.

7) Instalação


Na última etapa, o instalador trabalha sozinho: você pode assistir à Apresentação, ou tomar um café

14:41 – Nessa última etapa da instalação do Kubuntu, só resta assistir à Apresentação ilustrada (slide show). — Não há mais nenhuma opção a fazer, enquanto transcorre a instalação do Kubuntu 16.04 no computador.

14:51 – A instalação terminou. Reiniciar ou continuar testando (Live).

Observações


Poderia ter feito a migração por upgrade, diretamente do Kubuntu 14.04 para o 16.04, — porém, havia interesse em não manter boa parte dos aplicativos instalados nos últimos 2 anos, assim como inúmeras “dependências” não eliminadas ao desinstalar outros aplicativos.

Seria interessante monitorar, — também, — as atividades de leitura e gravação (Pendrive, HD).

Registros


A imagem ISO do Kubuntu 16.04 ainda era a mesma do lançamento: não foi preciso baixar outra, nem gravar Pendrive

A instalação foi feita em 24 Abr. 2016, com a mesma ISO utilizada no último teste de trabalho Live Kubuntu 16.04 release 16-04-20 23h06:

kubuntu-16.04-desktop-amd64.iso
20-Apr-2016 23:06 1.4G
Desktop image for 64-bit PC (AMD64) computers (standard download)

e que permanece inalterada no site oficial, até o momento (29 Abr. 2016).

Estado do sistema na sessão Live USB, 20 minutos antes de iniciar a instalação do Kubuntu 16.04

10:25 – Início da sessão Live USB.

11:58 – Botão share do FB não abre. Bastou sair do FB e voltar.

13:00 – Synaptic não abre. Havia instalado pelo “apt-get” → luckybackup, screenruler, chromium-browser, ttf-mscorefonts-installer, psensor, synaptic, pyrenamer, gimp.

Torrent para conferir a conexão: 1,3 MiB/s firme, sem falhas nem oscilações, durante 4 minutos

14:12 ~ 14:16 - Foi iniciado um Torrent, — durante uns 4 minutos, — para conferir a conexão, antes de clicar em “Install Kubuntu 16.04”.

14:17Install Kubuntu 16.04.

14:51A instalação terminou. Reiniciar ou continuar testando (Live).

14:56Restart.


— … ≠ • ≠ … —

Kubuntu & KDE


2 comentários:

  1. Oi, estou tentando instalar kubuntu no meu pc pela primeira vez. É um computador novo.
    Porém, salvei num DVD e ele não começa a instalação...
    Como faz pra iniciar? Coloquei o DVD e lguei o PC e não aconteceu nada.

    ResponderExcluir