quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Slackware - instalação e aprendizado

Slackware 14.2 com Kernel 4.4 e KDE4

O Slackware 14.2 KDE foi instalado em 14 Jul. 2017, mas permaneceu quase sem uso por mais de 30 dias.

Veio sem LibreOffice (só Calligra), afora outros aplicativos que é normal não virem, — e instalar novos pacotes exige mais do que um “aprendizado rápido”. — Era difícil trabalhar nele e, portanto, difícil permanecer muito tempo.

Em 11 horas de trabalho, hoje, o que mais fez falta foi o KRename, pois sua versão do KSnapshot (KDE4) nomeia as Capturas de tela por mera numeração sequencial.

Usar KSnapshot já não é coisa banal, hoje em dia, — acionar 3 teclas, em extremidades diagonalmente opostas do teclado, passando por 1 clique do mouse num ponto exato da tela. — Talvez por isso, o número de Capturas está baixo (e muitos detalhes ficaram sem documentar).

Seria prudente tentar compensar com anotações no Caderno, — mas teria levado o dobro do tempo. — Escrever à mão é extremamente ineficaz.

A falta do Chromium também complicou o trabalho, — foi necessário exportar seus Bookmarks e importá-los no Firefox, semanas atrás, — mas isso teria de ser repetido a cada dia (nos 2 sentidos). Não é prático.

Estado do sistema ao concluir a primeira parte do relato

Afinal, encontrei tempo para investir no Slackware, — e os primeiros resultados recomendavam começar logo o registro das tentativas, — pois fogem ao que estou acostumado a fazer (e lembrar).

Por isso, a prioridade são essas últimas tentativas, — já que a instalação inicial e as primeiras configurações foram relativamente comuns.

O objetivo não é ensinar nada a ninguém, — muito menos, simular conhecimentos, — mas deixar um registro que permita, no futuro, entender a origem de prováveis erros, para corrigir.

Antes tarde do que nunca


slackpkg install d” para obter os compiladores, desprezados ao instalar o Slackware

O hábito de preferir informações mais recentes, — ou, mesmo, limitar as buscas ao último ano, — me privou de um ótimo tutorial e dos sábios conselhos oferecidos por Carlos E. Morimoto há mais de 10 anos.

Perderia bem menos tempo na instalação do Slackware, — selecionando logo todas as categorias (exceto Xfce), — e em seguida o modo “Full - Install everything”:

«Além de não ter a preocupação de ter de ficar imaginando quais pacotes você precisa ou não (acredite, nem quem trabalha diariamente com Linux conhece a função de todos os pacotes incluídos em uma distribuição atual), você vai ter uma facilidade muito maior em usar o sistema e, principalmente, instalar novos programas, pois todas as bibliotecas e outros componentes eventualmente necessários já estarão à mão» [Seleção dos pacotes].

Essa burrice ficou evidente ao pesquisar “Repositórios adicionais”, — para procurar coisas como Conky, Chromium, LibreOffice, KRename, — e me dar conta de que tudo isso vai depender de uma variedade de ferramentas de compilação, sobre as quais não faço a menor ideia.

Ok, parece que não sou eu quem terá de lidar com elas, — o processo é bastante automático, — mas as ferramentas (sejam quais forem) devem estar presentes.

Para isso, a melhor solução foi o comando “slackpkg install d”, — que instala tudo dessa “categoria”, de uma vez só, — a menos que você queira perder tempo escolhendo.

Atualização inicial


“slackpkg upgrade patches”

Primeiro, algumas providências preliminares, — acredito que atualizei as informações dos repositórios, instalei as atualizações disponíveis (patches) e, por fim, instalei algumas novidades surgidas nos repositórios (new).

Aproveitei para reinstalar o Gwenview, que sempre abortava ao tentar abrir uma Captura de tela, — mas não sei se foi isso que resolveu. — No final, abriu pelo Menu, e só depois disso passou a abrir (também) clicando nas imagens.

Antes, ainda, ir nas “Configurações do sistema → Associações de arquivos” e padronizar BMP, GIF, JPEG, PNG, TIFF, — colocando sempre Gwenview no topo e Gimp logo em seguida.

Levantamento retrospectivo a partir do histórico de comandos fornecido pelo comando “history”, — aqui expurgado do que era irrelevante:

53 # slackpkg update gpg
54 # slackpkg update
66 # slackpkg upgrade patches
70 # slackpkg reinstall gwenview-4.14.3-x86_64-2
74 # slackpkg install-new
80 # slackpkg install d

Datando os comandos


Início da datação dos comandos no “/.bash_history

Depois de perder tempo tentando identificar pelas Capturas de tela o possível horário de cada comando, — fornecido pelo “history” apenas com a numeração sequencial, — deixei tudo de lado e fui caçar um jeito de datá-los automaticamente.

É um problema que já tomou muito tempo, em várias ocasiões. — Agora, a solução será aplicada nos demais sistemas já instalados, — bem como nos próximos:

2017-08-16_18:56:36 $ / # echo 'export HISTTIMEFORMAT="%F_%T "' >> ~/.bashrc
2017-08-16_18:56:38 $ / # source ~/.bash_profile

Ao que parece, o primeiro comando já faz essa configuração, — pois o segundo costuma retornar erro, — e mesmo assim, a datação passou a funcionar.

Foram usados, primeiro, como Usuário ($), — e depois, como Superusuário (#), — pois cada um tem seu próprio “/.bashrc” (achava eu), nas pastas “/home” e “/root”.

Infelizmente, só passou a preservar a data dos comandos executados daí por diante, — os anteriores serão sempre exibidos com o horário “atual”, a cada vez que disparar um comando “history”. — Portanto, o ideal é aplicar essa configuração o quanto antes. Se possível, logo após a instalação de cada nova distro.

Mais tarde, o formato de “hora-minuto-segundo” foi desmembrado, para substituir dois-pontos (colon) por traço, — padrão já adotado no nome-de-arquivo das Capturas de tela das demais distros:

echo 'export HISTTIMEFORMAT="%F_%H-%M-%S "' >> ~/.bashrc

Deletando o excesso de parâmetros (contraditórios) no “/.bashrc

Naturalmente, a repetição de comandos “echo” seguidos de “>>”, — que acrescenta a resposta ao final de um arquivo já existente, — deixou diferentes versões no “/.bashrc”.

Ao que parece, vale o último, — mas não custava nada apagar os anteriores. — Para isso, o arquivo foi localizado no Midnight Commander (mc) e editado (F4) rapidamente.

slackpkg reinstall kdei” para reinstalar os pacotes de idioma do KDE

Também pedi a reinstalação da categoria “KDEI”, — idiomas ou internacional, — e selecionei os pacotes de Português (pt) e Português do Brasil (pt_BR):

116  2017-08-16_20:06:22 # slackpkg reinstall kdei

Até agora, nenhuma certeza de que essas coisas tenham sido feitas corretamente, — por isso, é bom registrar logo (enquanto lembro bem), para exame posterior.

Instalação do Slackware


Em breve.

Epílogo


A experiência acabou dando lugar a outras 2 de resultados mais promissores a curto prazo

A produção deste relato foi interrompida em 17 Ago. 2017, para a instalação do Live Slackware Plasma 5 KDE, by Alien Bob, — que atende fantasticamente às minhas necessidades de trabalho diário, — e por isso, talvez demore um pouco a retomar.

Nesse dia, suas partições (Linux8, Home8) foram clonadas para a unidade SSD externa (Linux12, Home12), — para dar lugar ao Live Slackware Plasma 5 KDE, — e não voltou mais a carregar, em seu novo local, embora essa operação de clonagem já tenha funcionado várias vezes, tanto antes quanto depois disso.

Em 2 Set. 2017, as partições Linux12, Home12 foram sobregravadas com o clone do Devuan, — para dar lugar à instalação do openSUSE Tumbleweed em Linux6, Home6. — O Devuan carregou normalmente (após ajustes no /etc/fstab), e seu Kernel foi reinstalado, para consolidar sua nova localização. Ver “Remanejamento de sistemas Linux ao reparticionar discos”.

_________
Inicialmente publicado em 16 Ago. 2017, no Slackware 14.2 KDE, para desenvolvimento nos próximos dias e semanas.

— … ≠ • ≠ … —

Não-debians


Nenhum comentário:

Postar um comentário